2007-04-04

A Morte é...

A morte é vida camuflada,
Uma alma desnivelada,
A luz invisível de uma vela,
O choro de alguém a uma janela,

Um lenço preto estendido numa corda,
O sono de alguém que não acorda,
Um monte de terra e uma cruz,
O brilho de ouro que não reluz,

Uma ajuda que nunca vem,
Um lamento vindo do além,
Um charco de água gelada,
Uma conversa cortada,

Uma vida que desaparece,
O meu olhar que não te esquece,
O teu seio, o teu calor,
A recordação de te perder, a dor.


Vinte anos se passaram, foi em Março de 1987 que me deixaste.
Para ti esta adaptação (o original era bem mais duro...O tempo suavizou a tua falta mas não a anulou)…Um beijo do teu filho Paulo
.

(À memória da minha MÃE)

4 comentários:

pb disse...

o tempo suaviza a falta, mas não a anula...por vezes revivem-se os gestos, os carinhos, os olhares as conversas que só elas sabem ter, e aí, dá-nos um aperto no coração, um nó na garganta e uma lagrima que teima em cair. Desejo-te uma boa Pascoa, se possivel, junto daqueles de quem gostas, um abraço

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

És um excelente filho e sei que onde quer que esteja, tua Mãe está orgulhosa de ti.

Um abraço ...daquels dos nossos, mas este ainda mais especial.

Moura ao Luar disse...

Um beijo.... estou triste hoje e ao ler-te um pouco mais fiquei...

Herlander Rui disse...

Gostei muito .