2006-09-29

Gaivotas


Podia dizer que foi inspiração ou qualquer outra fonte de energia, mas estaria a mentir. Foi apenas mais um dia. Levantei-me cedo e fui ver o mar...Sabia que ia estar fechado nas próximas doze horas e decidi aproveitar. Porto Covo está deserto, voltou à pacatez dos seus trezentos e poucos habitantes. Estacionei o carro junto ao tratamento de águas e percorri a pé o restante caminho até á falésia, até ao mar. Bem perto de mim, nas saliências rochosas, as gaivotas espreitam os pescadores. Observam como se não fosse nada com elas...E eu também.
Lembrei-me da máquina que trazia na mochila...Desci, o suficiente para ficar no mesmo plano, olhos nos olhos e fotografei-as...


Uma vez...


E outra...

E ainda outra...


Antes de abalar despedi-me do mar e agradeci ao sol a sua breve aparição.

Foi assim a minha manhã...Do resto não conto, apenas que são quase duas horas e que tenho de me ir deitar...

7 comentários:

copa-rota disse...

As gaivotas...independentes...belas,e sempre indiferentes ao nosso deslumbramento.

Estive aí contigo...em Porto Covo...junto delas...junto do mar...e dentro...da poesia.

Obrigado por este magnífico momento, Paulo...ainda bem, que te conheci.
Admiro-te!

O abraço do costume...mas mais forte.

Bom-fim-semana,

Miguel

Uma música:" Piano concerto, nº2 in c Minor- opus 18- Rachmaninov.

Mas que momento este!!! ;-)

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Conseguiste levar-me contigo nesse breve passeio à beira mar. E Porto Covo??? Que saudades!Há anos que não vou a Porto Covo.Tenho que voltar.

As fotografias estão geniais! Parabéns...São lindas.
Um beijo

Talk Talk disse...

Que belas fotos!!!

Um abraço.

Isabel disse...

lindo lindo lindo...
Fernão Capelo Gaivota em fotografia, LIndooooo!

Isabel

pb disse...

bonitas fotos, transmitem uma sensação de paz ! um abraço e bom fim semana

Vanda Baltazar disse...

Que coincidencia!

Também o meu post de hoje, tem gaivotas! E sol!

Memorias do ultimo Verão.

Não tens ue pedir desculpa por manifestares a tua opinião e a mesma ser diferente da minha ou da autora do texto em questão!

Tal como tu, também eu vejo diarimente pessoas a triturarem outras, também eu vejo o egoísmo latente nas escolhas, opções, posturas, decisões.

Não sou cega e são muitas as vezes que amargamente cedo a razão aos cépticos...

Mas sabes que mais? Não podemos olhar para as árvores, devemos olhar para a Floresta!

E sempre que os Orgãos de soberania, quer governamentais quer eclesiasticos erram, deveremos ter sempre a noção que foi uma escolh partidaria ou ferrenha e não a opinião dos milhões de pessoas que vivem por esse mundo fora!

De resto resta-nos acreditar que se o formos praticando em privado e ao nosso redor e se o vizinho, também o fizer, que no Futuro, tudo isto pode ter bons resultados :))

Paz, Luz e evolução!

Bom fim de semana e um beijinho!

Vanda

Leticia Gabian disse...

As fotos registram mais o seu momento do que qualquer coisa que vejamos com os simples olho de apenas ver.
Beijo do Brasil